Seguidores

terça-feira, 30 de junho de 2009

Muito mais que pescar..



Quando eu era criança a minha Mãe obrigava-me a comer morangos para eu ir à pesca com o meu Pai, ou pelo menos para o acompanhar nas suas jornadas..
Ainda hoje não sou grande apreciador de morangos..

A primeira truta que eu capturei, o meu primeiro robalo, o meu Pai esteve a meu lado, já capturei inúmeros peixes, robalos grandes, trutas grandes , os recordes que eu estabeleci para mim já os cumpri , nestes últimos anos vejo a pesca com outros olhos..

Os dois momentos mais importantes foram os dois que salientei, o primeiro e a primeira, o meu orgulho em capturar pela primeira vez estes dois espectaculares predadores.

Cedo aprendi a saber o que era um fieiro no estuário do Douro, a ler os espelhos de água.. A caminhar com pés de lã num rio truteiro.. Pela mão do meu Pai..
O tempo passou rápido e quando olhei para o lado já o meu irmão lançava um colher rotativa em busca de uma truta num rio de montanha..Já éramos três a olhar para um rio turbulento de águas cristalinas os mesmos que assistiram a inúmeros dias a nascer numa praia qualquer …
Uma família unida, e uma paixão enorme pela pesca, pela natureza, ou pelo simples facto de estarmos juntos a fazer o que mais gostávamos..

Depois da formação base cada um de nós dois formulou as suas ideias e tinha as suas teorias ou técnicas predilectas, as manias que os pescadores ganham pela vida fora.. ainda as temos e ainda agora mas não tanto como desejaríamos nos juntamos os três para pescar num ribeiro qualquer ou lançar atrás da rebentação em busca de um grande robalo.

Por anos quando o tempo passava mais devagar e parecia que sobrava eu o meu mano mais novo fizemos uma dupla temível nos robalos, forma noites e amanheceres repletos de cumplicidade.. Ainda por estes tempos nós os três em acção de pesca não precisamos de falar muito, um olhar, ou um simples gesto são o suficiente para comunicar frases inteiras..

A pesca para mim há-de ser muito mais que capturar peixes, é uma paixão, um estreitar de sentimentos com a natureza, com um ente próximo, um amigo ou uma simples maneira de viver..

O meu mano mais novo não gosta de blogs ou de fóruns, gosta de pescar quando a pesca lhe assola a alma..Para ele não há termos ingleses abomina-os, as amostras trabalhem bem ou mal, lançam bem ou mal, para ele a pesca é simples, não complicou o que sempre foi fácil e no entanto segue capturando robalos..
Apesar de ele não gostar este post é para ele, o meu maninho mais novo..

9 comentários:

António Matos disse...

Olá Paulo gostei da parte final do teu Post, conheço bastantes pescadores assim que preferem desligar o complicódremo e com muitos bons resultados.
Cumprimentos

Paulo Martins disse...

Boas António Matos

A pesca é bastante simples na sua essencia, nós é que a complicámos.. assim como a vida..

Cumprimentos

Raúl Ribeiro disse...

... é bom recordar e dedicar um belo post ao maninho mais novo.
São momentos de uma vida que ficam pra sempre gravados.
Grande Abraço aos 2...

Anônimo disse...

Adorei o texto Paulo, fizeste-me recordar bons velhos tempos em que felizmente tive a sorte de vos acompanhar em várias pescarias (quase sempre ás trutas)e nunca hei-de esquecer a 1ª vez que o teu pai me levou ao rio Paiva e pesquei a minha 1ª fario na vossa companhia...agora compreendo que o mais importante não era de facto a pesca.

Um grande abraço ao Filipe e ao Sr. Martins e um abraço especial para ti amigo!

Nuno

A. Barbosa disse...

Por ter lido a tua resposta no tópico que coloquei do meu irmão, resolvi vir ver o que se passava no teu blog e, nem de propósito dou com este post.
Palavras para quê...
Grande abraço pescador!

Paulo Martins disse...

Boas Nuno,

Grandes tempos esses que passámos,são esses momentos que nos marcam para sempre..
Abraço Amigo

Paulo Martins disse...

Boas Barbosa,

Aparece sempre que quiseres:)

Abraço

Multiolhares disse...

Parabéns pelo poste,sabes que quanto a pesca sou uma nódoa, não entendo nada, mas acho espectacular a união da família, a cumplicidade,e a vossa família é linda, um por todos todos por um, e cada vez se vê menos esse amor essa união, essa partilha,grata fico por os conhecer.

beijinhos

Paulo Martins disse...

Olá Sogrinha:)

Já faz parte da familia..
Beijinhos meus e da Estela