Seguidores

sábado, 11 de abril de 2009

Spinning , a inovação da pesca em Portugal?

Spinning , a inovação da pesca em Portugal?

Na semana passada fui à pesca e não vi um único pescador de Buldo ou corrico e dei comigo a pensar em algumas coisas por isso hoje apeteceu-me tecer algumas considerações sobre o spinning modalidade em clara ascensão em Portugal.

Nos últimos 2 anos houve um bum nesta modalidade arrastando pescadores que praticavam outras técnicas e outros por ser “ novidade”.

O pescador de spinning é caracterizado entre outras coisas por ser um pescador técnico e inovador.. E é pela palavra inovação que me quero debruçar um pouco mais, a inovação no spinning tem sido tão amplamente falada e discutida que é neste momento uma pedra basilar de muitas empresas e lojas associadas ao mercado da pesca desportiva. E na actualidade deparámos com :

Empresários individuais e empresas a fomentar um Marketing directo e agressivo em indoors em casas da especialidade e a realçar nos espaços premium dos seus catálogos tudo quanto é artigos dedicados a esta modalidade.

Na comunidade de pescadores em espaços fisicos ou virtuais assistimos a brainsttormings sobre o tema debatidos vezes sem conta, a melhor cana , a amostra ideal, etc. etc.

Como o mercado de Spinning é um mercado apetecível para os investidores e profissionais chegaram a algumas conclusões:

1- A inovação será sinónimo de sucesso para as empresas através de novas soluções( mesmo que as mesmas sejam um up grade ), aproveitando assim a curiosidade do pescador fomentando as suas necessidades patentes e latentes quer em clientes actuais ou futuros.
2- Empresas menos fortes rapidamente copiam esses produtos que através de um controlo de qualidade mais fraco conseguem preços finais de venda ao publico mais baixo, logo mais atractivos e acabam também por gerar lucro.
3- Como todos as inovações tendem a ser rapidamente copiadas a única forma de essas empresas continuarem a ter sucesso é continuarem a lançar novos produtos e quanto mais consagrada for essa empresa mais receptividade têm perante os consumidores que aguardam avidamente as ultimas novidades( actualmente a moda são as japonesas)

Conclusão,

O pescador de spinning actual associa inovação a algo que pode ser descrito” como a estar sempre associado às ultimas tendências do mercado e procurar ter mais e recentes soluções disponiveis no mercado”

Isto meus amigos não é ser inovador é ser moderno ou melhor dizendo é estar na moda..

Com isto quero dizer que o spinning não é uma inovação é uma moda que só agora começa a chegar a Portugal com toda a sua força, e por paralelismo a outras facetas da sociedade o povo nacional é por cultura enraizada um povo que pensa que o que vem de fora das nossas fronteiras é bom logo copia-se , os portugueses dão demasiado valor à imitação e muito pouco à criação.

Devido a estas considerações tomemos por exemplo os pescadores franceses , quase que olhamos para eles como os nossos gurus espirituais , a verdade que é eles através de uma sociedade mais produtiva e empreendedora conseguiram colocar a França como País Europeu líder e especialista nesta modalidade( e noutras) simplesmente porque tiveram visão económica suficiente para analisarem e descobrirem o grande nicho de mercado que é a pesca e o spinning em concreto, geram milhões de euros simplesmente.

O que vai chegando a Portugal são reflexos de outras comunidades por isso atrevo-me a dizer que nos próximos anos a tendência Portuguesa será por utilizar canas mais curtas abaixo dos 2,70 metros e haverá uma proliferação da utilização de vinis e softbaits , isto tudo não é porque inovamos mas sim porque acompanhamos tendências, queremos estar na moda.

Devido a tudo isto o pescador nacional atravessa um período em que tudo o que brilha é ouro torna-se assim numa presa fácil para campanhas de Marketing directas ou encobertas..

Espero que com esta tendência e não inovação cheguem ventos de preservação pelo meio ambiente, chegue uma reflexão interior e uma verdadeira consciencialização que nós enquanto pescadores desportivos temos impacto nos ecossistemas que pescámos, no mar ou em águas interiores e não deitemos sempre a culpa aos profissionais..Neste capitulo é necessário que inovemos ( seguirmos a tendência e a moda de outras realidades)

Por isso não se esqueçam que os peixes não acompanham mercados, não só atacam amostras novidade japonesas com valor acima dos 20 euros como continuam a atacar amostras com 5 anos ou um simples pingalim de preço de venda de 0.25 euros e nacional, nem tudo o que brilha será certamente ouro.

Continuemos a pescar e divertir pela pesca que tanto nos apaixona mas por vezes convém parar e pensar um pouco

12 comentários:

Bruno Martins disse...

Pela 1ª vez vejo algo escrito sobre a febre do spinning que não poderia estar mais correcto...
Excelente artigo amigo,

Abraço

Paulo Martins disse...

Não há nada como os amigos para nos elevarem o ego:) Obrigada amigo, é apenas um artigo de opinião, porque custa um pouco ver muita gente a comprar metal dourado a pensar que é ouro.

Grande abraço

Smorais_68 disse...

Amigo,
Como alguém um dia disse "nem tudo o que reluz é ouro..."; achei pertinente e bem descrito o parágrafo do "brainsttormings"; mais uma vez triunfas com poucas palavras, bem escrito.
Abraço.

S. Ferreira disse...

Paulo, vou mais longe: os fóruns estão na moda e promovem como nunca o spinning.
Nestes espaços e nas revistas de pesca incute-se o consumismo. Os pescadores devoram artigos e artilham-se no intuíto de potencializar o êxito das suas jornadas de pesca.
Concordo com o que afirmas sobre o seguimento da modalidade em França.
O teu texto está bastante actual e traduz a realidade.

Cumprimentos.

Paulo Martins disse...

Boas Morais,

A questão não é triunfar é mesmo o alertar de certas consciencias..

Grande Abraço

Paulo Martins disse...

Boas Sérgio,

Não tenho nada contra os pescadores acompanharem as novidades, eu próprio tento-o fazer, mas a actual realidade é uma exagero total, existem pessoas a gastar rios de $ e mal sabem pescar,uns por culpa própria outros por infuencias de marketing directas e encapotadas em espaços que só deveriam promover a pesca..No fundo nem disfrutam do verdadeiro prazer de pescar, parecem colecionadores..

Cumprimentos

S. Ferreira disse...

Sim. Sei bem o que isso é.
No meu caso, opto sempre por aquisições relativamente seguras. Ainda assim, acabo por fazer um stock de segurança das amostras em que mais confio. Resultado: com o tempo as amostras vão-se amontoando!
Na passada sexta-feira terminei um inventário de hardbaits. Falta-me agora multiplicar as existências pelo valor monetário da cada unidade. Vou com toda a certeza caír para o lado:)

Cumprimentos e força com o blog.

Paulo Machado disse...

Eh Pescador,
Fico extremamente contente com este teu espaço, que tiveste a amabilidade de me contar. Só hoje pude lê-lo e agora postar, tu sabes porquê. É com todo o gosto e contentamento que o farei.
Este não é mais um "espaço" que surge...porque está na moda.
É um espaço merecedor de toda a credibilidade, insuspeito, de alguém que ama e respeita o mar como poucos que eu conheço.
Não o digo por ser teu amigo, digo-o simplesmente porque conheço a tua atitude e postura em relação à Pesca.
Por isso Paulo, será com todo o gosto e prazer que cá virei assiduamente. Quero desejar-te Muito Sucesso neste teu projecto e que ele perdure por muito tempo, pois é necessário e uma mais valia para toda a comunidade.
Grande Abraço e força.

Paulo Martins disse...

Boas Paulo,

Obrigado pela visita e pelas palavras, este será um espaço de ideias livres onde todos os que amam a pesca serão bem vindos com seus comentários e criticas.
Obrigado pela força
Grande abraço

Anônimo disse...

O spining teve uma gramde alteraçao.
Quem pescava ao fundo agora quer mudar de tecnica porque nao se apanha nada de geito.
Mas deviam publicar mais coisas na net de material para a tecnica do sipning, porque nao ha quase nada para nos vermos e para encomendarmos material pela net.....

Joaquim Novo disse...

Viva Paulo.
Gostei bastante do que escreves-te,para mim um grande ajuda,isto porque sou um novato nestas andanças do spinning.
Para mim serviu de alerta,pois irei ter mais cuidado quando me dirigir a uma loja para compra de algum material.
Desejo tudo de bom
Abraço

Joaquim Novo

Joaquim Novo disse...

Viva Paulo.
Gostei bastante do que escreves-te,para mim um grande ajuda,isto porque sou um novato nestas andanças do spinning.
Para mim serviu de alerta,pois irei ter mais cuidado quando me dirigir a uma loja para compra de algum material.
Desejo tudo de bom
Abraço

Joaquim Novo