Seguidores

domingo, 9 de agosto de 2009

Preservação e euros..

Vamos preservar? Preservar, essa palavra tão pura e elitista para alguns..
Ultimamente vamos lendo um pouco por todo o lado sobre esta palavra, preservar o meio ambiente, preservar os recursos naturais, preservar o património cultural, preservar os recursos marinhos,etc,etc..

Vamos falar de preservação e do spinning em duas vertentes, a Internet e os profissionais do sector

Nos últimos anos existiu um boom massivo em publicações da especialidade, na Internet e nas casas de pesca, boa parte da publicidade presente nas revistas é já sobre esta modalidade, colocam ao virar de uma página os últimos gritos de artificiais, as lojas de pesca apressaram-se a acompanhar uma tendência de mercado e em quase todas podemos visualisar uma wall merchandising de artificias para cairmos no pecado capital da compra, tudo em nome da preservação.

A Internet:

Fóruns, blogs , páginas oficiais de marcas ou importadores, o spinning tornou-se omnipresente, assistimos em fóruns a tertúlias por tudo e por nada, a brainstormings de cérebros que pouco salitre têm entranhado no corpo, ou que pescam muito por um monitor fazendo de um par de teclas o sua melhor amostra.

Na Internet o apelo à preservação pelos demais sítios é notório, se uns acham que é por necessidade outros por elitismo, outros porque amam a pesca e outros porque vão na corrente e preservar é preciso, pelo menos afirmar, fazer é outra história.

Nesta mesma Internet que todos nós navegámos as marcas e importadores já descobriram um nicho de mercado tentador e poderoso, já começaram a montar os seus sites oficiais com visuais agressivos, imagens e som brutais, comprem, comprem..

Ainda há no meio desta Internet grandiosa e informativa os peões, esses grandes pescadores que oficialmente não são patrocinados por nenhuma empresa mas oficiosamente recebem produtos para falar deles, mudam de roupa frequentemente, colocam fotos de peixes grandes ou pequenos o que interessa é aparecer, gerar retorno para receber mais umas amostras novas ou uma cana para entrarem no mesmo ciclo vicioso.

Divulgar é preservar? Ás vezes…

Não poderia deixar uma ressalva para aqueles que tem o seu blog com a seu “ patrocínio “ explicito, isso sim é ter respeito pelos seus leitores e claro, traz transparência, algo que cada vez falta mais neste Portugal.

As revistas:

O expoente máximo dos média na pesca, chegam a todos os pescadores mesmo aqueles que não tem acesso a um teclado, as casas de pesca até já as disponibilizam para uma leitura gratuita, para uma maior informação dos seus clientes e claro sempre é mais um argumento de venda devido à publicidade directa e encapotada que existe em quase todas as publicações.
A não profissionalização da maior parte dos pescadores que são seus colaboradores só levam a caminhos menos transparentes nos seus artigos, é mais um meio para chegar a um fim, esse fim será a preservação? Não me parece.. A ligação que muitos dos seus colaboradores tem ao mundo profissional da pesca torna as publicações feridas de morte no que concerne a transparência e isenção..
Tenho pena que o comum dos leitores não tenha conhecimento dos grandes interesses que existe na Pesca Desportiva em Portugal.
Preservar que palavra tão bonita..


Estabelecimentos comerciais de artigos de pesca:

Foram abertos para gerar lucros, nem adianta escrever muito sobre este tema, já viram algum lojista recusar vender algum artigo a algum pescador que não cumpre a lei?
Eu ainda não vi e duvido num futuro próximo ver isso a acontecer.


O spinning só veio ainda mais afectar o stock actual de robalos, a remoção massiva de grandes exemplares só veio debilitar as já diminutas populações de robalos e isto só aconteceu devido à divulgação brutal desta técnica , o spinning neste momento é a galinha de ovos de ouro de muitos profissionais do sector, preservar sim, é uma palavra bonita mas os euros falam mais alto neste Portugal.

13 comentários:

S. Ferreira disse...

É um texto actual e inteligente que toca nos principais problemas que assolam uma das técnicas de pesca mais bonitas que pratico.

A preservação nunca se conseguirá nos moldes actuais, garantidamente.

A propósito de lojistas, o José Manuel Figueiredo, dono de uma das casas de pesca mais emblemáticas (e já encerrada) da capital, recusava-se a vender amostras a muitos tipos manhosos que lhe apareciam na loja, em pleno defeso do achigã.
Para além dele, duvido que muitos tomem atitudes semelhantes.

Um abraço.

Gouveia disse...

Parabens.

Gostei bastante da abordagem.

"Bem vindo mar bruto e vento forte"

Os robalos tb agradecem,

Gouveia.

Paulo Martins disse...

Boas Sérgio,

Um homem que tem uma atitude desse nivel só pode ser um homem de grande elevação, infelizmente é sempre a excepção que confirma a regra.

Abraço

Paulo Martins disse...

Boas Gouveia,

É preciso de quando em vez a malta colocar o dedo em certas feridas..
Obrigado pela visita

Cumprimentos
Paulo Martins

Tiago Laurentino disse...

Boas Paulo este tema é delicado, eu pratico spinning bem antes desta "Onda", vou ao mar quase todos os dias, o que continuo a ver são pescas ilegais massivas, que rebentam sim com os stocks de Robalo, quanto aos lojistas, autores de blogs aproveitarem o que se está a passar com a "Onda" faz parte de nós Portugueses desde a Politica até todo o tipo de trabalho o incentivo e o incentivado vão existir sempre.
Eu prefiro colocar quanto menos fotos melhor para preservar os meus pesqueiros as minhas pedras, o que mais gosto de fazer pescar aos Robalos mas respeito todo o tipo de opiniões e como dizes muito bem existem muitos pescadores de teclado que criticam muitas vezes o que não sabem, pois eu vou ao mar e sei muito bem onde está o problema e tu também de certeza e é nele que nos devemos focar.
A poluição e a pesca ilegal massiva de toneladas de Robalos esta deve de ser travada soluções sobre este assunto sobre ele devem ser colocados posts e não sobre uma pesca em que grande parte desses pescadores que caem sobre essas publicidades grandes investimentos e pouco peixe apanham.
Um pequeno Exemplo do global de Portugal.
A Aberta da Foz do arelho, pescam lá todo o ano aos Robalos apanham uns quantos á cana todos os anos uma quantidade insignificante.
Algumas noites de maré vazia, pescadores ditos profissionais passam uma rede de um lado ao outro de maré vazia, com a enchente seguram a rede e depois puxam tudo para um dos lados, são toneladas de Robalos Robalinhos Douradas Douradinhas etc.....
O que eu acho é que somos pescadores e vendo o meu local onde pesco os peixes que se apanham ao spinning ou ao fundo, é uma gota de água no Oceano contando que seja 2 ou 3 robalos que possam sair em 15klm de costa por dia para as caixas que chegam ás lotas ou simplesmente aos portos de pesca todos os dias de pescas ilegais.
O que eu acho é que em vez de se andar a tentar responsabilizar pescadores de linha e criticar diferentes tipos de opinião sobre as diferentes formas de estar na pesca, arranjar sim soluções para acabar com este saque á nossa costa.
Abraço.
Tiago

Paulo Martins disse...

Boas Tiago,

A principal razão que me levou à criação deste blogue foi a necessidade que eu tinha de expor certos pensamentos livres de condicionalismos de fóruns e ao mesmo tempo através da Internet fazer passar a mensagem dos meus pensamentos a quem tivesse interesse em ler os mesmos. Ninguém é obrigado a concordar ou a gostar do que escrevo sabendo eu de antemão que há coisas que escrevo que não interessa a alguns ler ou pensar, um blogue é pessoal e quem nele escreve traça o caminho que quer que o mesmo siga, tens um blogue igualmente, traças o perfil do mesmo e inseres nele matéria que para ti seja relevante por aqui eu faço o mesmo.

Não sei se sabes mas também tenho a hipótese de pescar sempre que o mar deixa e sempre foi assim desde tenra idade, visto que habitava perto da foz do Douro.
Não podemos apontar o dedo só aos profissionais e à poluição, conheço vários pescadores que ao longo de um ano tiram bem mais que uma tonelada de peixe.
Não conheço a realidade da tua zona, mas posso-te garantir que só este fim de semana vi centenas de pescadores no estuário do Douro, estuário esse que já foi rico em quantidade e tamanho do pescado, todos nós temos a nossa cota parte de responsabilidade no decréscimo dos stocks de pescado o impacto que a Pesca Desportiva tem nos stocks a meu ver está desvalorizada.

O caminho da mudança e da existência de uma real preservação dos recursos tem que passar pelos responsáveis estatais, por um lobby dos profissionais da pesca ( importadores, média, lojistas) e pela união de todos os pescadores, acredito que mais facilmente se juntarão os profissionais quando virem os seus lucros a diminuir do que os pescadores desportivos, porque existe efectivamente muitas pessoas a pescar mas poucos a ser pescadores.

Obrigado pela tua participação
Aparece sempre que quiseres

Abraço

Paulo Martins

Tiago Laurentino disse...

Paulo todos nós temos a nossa opinião sem duvida e nada como a trocarmos de forma sã, quando dizes toneladas de Robalos não são pescadores desportivos, quanto ao fim de semana estão muitos pescadores Peixes por pescador se calhar quase nenhum existem dias de excepção mas depois os dias 0, eu aqui sei de profissionais que enchem barcos de Robalos não caixas, quanto ás contas de 2 robalos por dia é fácil fazer por aqui, os dias que o mar não deixa pescar, os que não sai peixe os que não vamos á pesca divididos pelos que pescam por aqui não dá mais que isso.
Quanto ao que falas sobre o spinning e os absurdos dos materiais é totalmente verdade, mas como existem pescadores de spinning de Robalos existem também muitos compradores de material de Spinning em que dão mais valor ao material que á propria pesca em si, como existe muitos pescadores que por estarem longe do mar ou não condeguirem dominar bem a técnica acabam por desistir, em que grande parte dos pescadores de spinning se reduz a capturas esporadicas, a realidade dos profissionais nem tu nem eu conseguimos imaginar, redes que não se chegam a levantar com os temporais com centenas de Robalos que ali apodrecem.
Acho estranho criticarmo-nos uns aos outros com tão pouca influencia nesses recursos, quando deixamos cometer autenticas chacinas de Robalos.
Obrigado Paulo vou continuar aqui o teu espaço que está bem porreiro.
Abraço.

Paulo Martins disse...

Boas Tiago,

Quando me refiro a toneladas refiro-me a pescadores desportivos que pescam para vender, facilmente se capturava robalos no estuário do Douro, existiam noites de centenas de peixes capturados à cana , qualquer pescador do Porto te pode confirmar isso, a pressão de pesca por aqui é avassaladora.
Falo ainda nos milhares de peixe sem medida mínima que igualmente são capturados por aqui, dia após dia nas barbas da Capitania.
Sei bem o que fazem os profissionais, morava a menos de 1 km deles, cresci com eles e conheço alguns desde pequeno, o que dizes das redes é verdade e ainda havia mais a acrescentar.
Por isso acho que o primeiro passo que tem que ser dado é exigirmos que a lei actual seja aplicada, que exista fiscalização para todos, infelizmente isso não acontece e acredita que só vai acontecer quando começarem a diminuir os lucros dos profissionais do sector.

Abraço

Paulo Martins

Tiago Laurentino disse...

Como dizes e bem Paulo as realidades são muito diferentes por todo o Portugal, conheço pescadores ai dessa zona que se queixam que é raro apanhar um peixito agora e passam ai noites, dias de algum peixe acontece mas raro, mas como te disse se os stocks de Robalo estão como estão, não é á conta de pescadores de linha e na minha opinião podemos deixar de ir á pesca todos e libertar os peixes todos se não se fizer nada, atrasamos pouco ou nada pois eles vão acabar com a pressão dos profissionais principalmente as redes.
O que eu acho da internet é que muitas vezes somos nós com fotos discaradas das capturas com pesqueiros que se identificam fácil que indicamos cardumes de Robalos, pois acredita que esses profissionais estão atentos a foruns, blogs e conversas de café de peixes apanhados na pesca desportiva onde apanhamos 2 ou 3 peixes no dia a seguir eles sacam o cardume.
Conheço pescadores profissionais que pescam de barco com amostra aqui se imaginasses as pescas de 200k a 300k de Robalos que se fazem muitos dias todos os anos vários barcos, um ano destes em frente á Nazaré foram capturadas 10 toneladas de Robalo no arrasto, redes diarias que muitas vezes fazem cargas, na Nazaré o ano passado na praia uns pescadores de fundo apanharam uns Robalos, vieram os profissionais cercaram o cardume foram toneladas o Robalo esteve na lota a 1€k , estas e muitas outras por aqui que não se sabem.
E é assim e pior por todo o Portugal.
Peixe sem medida não é fácil dar a volta a essas pessoas com essa mentalidade tem de ser a Policia Maritima a actuar.
Respeito a tua opinião mas a minha é que nós temos um impacto minimo, não só nos Robalos como em todas as especies, os pescadores que têm um barco correm tudo para apanhar quase nada e para apanhar tem de ser junto a terra pois onde os arrastões passam limpam tudo, esta é a realidade que eu assisto todos os dias que vou á pesca.
Abraço.
Tiago

Sargus disse...

Boas Paulo.

O que dizer da tua reflexão...

Uma analise concreta, elaborada que toca vários pontos problemáticos, os meus parabéns desde já.

Actualmente não é com a legislação que existe nem com os princípios pouco transparentes que se vai colmatar a chamada "preservação" do que quer que seja. Tem existido um acréscimo excessivo de praticantes de pesca quer em águas interiores como nas oceânicas, e para isso é essencial legislar e tentar apaziguar "o pesca para o €uro".

Tenho visto grandes atentados nestas férias, fiscalização nenhuma, ou 8 ou 80, como sempre...

O objectivo do teu projecto esta alcançado e dou te os meus parabéns, longe dos condicionalismos e leis dos fóruns.

Bem vimos o que se passou com as tristes medidas implementadas no PNSACV, quem andou a tentar mudar as coisas, quem ajudou, etc, falta de união sem duvida, se existe uma falta de união, existe interesses escondidos, se não é a mim que afecta porque me irei chatear?

Mas na realidade isto afecta todos, as espécies, os pescadores, os fundamentalistas, os amantes da pesca, etc, toda a gente.

Uma vez mais te dou os parabéns pelo texto que elaboraste digno de ser lido por toda a gente.

Grande abraço e continua com o projecto.

;)

Fernando Encarnação

Paulo Martins disse...

Boas Fernando,

Antes de mais obrigado pela tua visita e pelas tuas palavras.
O caso do PNSACV é a ponta do iceberg, por paralelismo iremos ver mais leis surrealistas pelo resto da costa.
Concordo com o dizes se não há união é porque há outros interesses e Portugal é repleto de exemplos do " dividir para reinar" ou ainda do pensamento do meu umbigo.
Com o tempo vamos sair todos a perder, quem gosta do mar e quem vive do mar.

Abraço
Paulo Martins

António disse...

Estive a ler o seu artigo "Preservação e euros" e é uma REALIDADE, a análise que faz ao que se está apassar no país em relação à pesca ao robalo na modalidade de "SPINNING".
As marcas "todas" associadas aos "lúdicos/profissionais" não auguram nada de bom para a espécie,e neste meu comentário não quero abordar a actividade dos profissionais,é demasiado penoso falar da sua actuação na captura,é o vale tudo.
Foi muito negativo para a perservação das espécies de costa as pressões feitas por todo o tipo de entervenientes junto do político que teve coragem para impor restrições ao SAQUE que se passa na COSTA VICENTINA, mas como os votos valem "PODER",que se lixem as espécies, vai ser lindo daqui a uns anos quando não houver nada.
Há dias na Aguda,localidade conhecida como centro piscatório no Norte,(onde muitas vezes vi quantidades absurdas de robalos capturados prontos a desovar),(ficava com um nó no estomago pelo crime cometido sobre uma das espécies piscícolas mais nobres que temos a sorte de ter na nossa costa,devia ser considerado a nível nacional como um EX-LÍBRIS NACIONAL, profegido por legislação muito apertada, não dando hipótse nenhuma a abusos), mas como dizia, encontrava-me lá para passear um pouco, tomar um café, e falar com um velho pescador com mais de 70 anos,e perguntava-lhe eu: Então Sr.José como estão os robalos por cá,tem havido boas capturas.
E ele responde: Robalos, então se mataram os pais e as mães não pode haver filhos, não há nada.
No Cabedelo do Douro andam à mais de dois meses todos os dias, da preia para a baixa mar uns seres que não sei classificar com a água pela cintura a pescar o que?
Eu digo-lhe, robalinhos com 5 centimetros de comprimento.
E a polícia marítima onde anda? Esta gente não está longe,está praticamente na borda do prato dos tremoços dos polícias.
Creio, DEUS QUEIRA que me engane mas a costa portuguesa está a SAQUE.
Há dias depois de uns bons minutos de luta, fugiu-me (soltou-se)um exemplar que deveria ter 5 a 6K,não fiquei triste pelo contrário a sua luta mereceu a fuga, espero que morra de velho, ando a curtir a luta à varios dias, quando for à caça ao spinning,vou gostar que me fujam alguns.
Estou tão ligado ao mar em toda a minha vida, que quando chego a casa à sempre alguém que me pergunta. Foste ao MAR.
Fico por aqui.
Um abraço.

Multiolhares disse...

Dou-te os meus parabéns por este belíssimo texto, como dizes hoje em dia o que importa é promover tudo o que traga retorno monetário, os valores são esquecidos,o equilíbrio da natureza que tanto necessitamos para termos uma vida estável, mesmo saudavel é esquecido, acabamos por aos poucos ir destruindo a casa onde habitamos e que no fundo também somos responsáveis pelos outros seres que a habitam.
Beijinhos para os meus dois meninos
E para os netinhos ehehee