Seguidores

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ajudem os ouriços do mar

Foto cedida por Fernando Encarnação



Um blog pode e deve ter um papel de actividade civica por isso ajudem quem quer mudar algo em Portugal:

"Em Portugal só há ouriços-do-mar na costa entre Caminha e Esposende, mas todos os anos, durante o período reprodutivo das fêmeas, que decorre entre Outubro e Abril, deverão ser apanhadas umas 19 toneladas, para aproveitar as ovas frescas, que são colocadas no mercado a preço de ouro", disse hoje, à Lusa, aquele deputado.

Segundo Rui Taxa, a escassez de caviar a nível mundial fez disparar a procura das ovas de ouriço, que têm um paladar muito semelhante e que chegam a ter um custo de 24 euros por cada 130 gramas, sendo Espanha o seu destino."Os preços finais para o consumidor atingem valores muito mais elevados", frisou.Para Rui Taxa, o principal problema é que a lei não estabelece limites para a apanha, seja em termos de quantidades ou de tamanhos."Tudo o que vai à rede é peixe. Levam tudo e não deixam nada. E se isto continua assim, em breve deixará de haver ouriços-do-mar em Portugal", alertou.
A petição que vai ser colocada na Internet exige a proibição da apanha de ouriços-do-mar durante cinco anos, para a regeneração e estabilização da espécie, e a criação de legislação adequada, que imponha limites à apanha.Neste momento, e segundo Rui Taxa, que é também presidente da Direcção do Clube Ancorense de Pesca e Caça, qualquer pessoa que seja portador do Cartão Individual de Apanhador de Animais Marinhos, que custa apenas 10 euros, pode retirar da costa todo o mexilhão que quiser e puder.O cartão, emitido pela Direcção Geral de Pescas, tem actualmente cerca de 20 pessoas detentoras, na costa entre Esposende e Vila Praia de Âncora.Fonte da Polícia Marítima, contactada pela Lusa, explicou que, com a actual legislação, as autoridades apenas podem intervir se os apanhadores fizerem uso de instrumentos, como foucinhas, no exercício da actividade."Isso sim, é proibido por lei, mas é muito difícil apanhar os infractores, porque eles montam esquemas de vigilância, tendo alguém sempre 'de plantão' para os avisar quando se aproxima a Polícia Marítima", acrescentou a fonte, sublinhando que "é frequente" encontrar utensílios daquele tipo abandonados nas rochas.Rui Taxa lembra que a utilização destes instrumentos "viola os habitats naturais" de outras espécies, que "também ficam com a sobrevivência ameaçada".
O autora da petição em defesa dos ouriços-do-mar Rui Taxa, garante que já alertou para este problema diversas entidades, entre as quais os Ministérios do Ambiente e Agricultura e Pescas, as câmaras municipais, os deputados eleitos pelo distrito de Viana do Castelo e o Governo Civil.Fonte: Lusa (26/11/2009).

http://www.peticao.com.pt/ourico-do-mar

11 comentários:

Sargus disse...

Boas Paulo, é sempre bom divulgar e chamar a atenção sobre estes pequenos grandes problemas...

Aqui por baixo andamos com a PM em cima forte e feito não existe exploração do comercio, apenas para petisco e iscas (chuchas de ouriço) para os sargos de inverno.

Por aqui não vejo essa exploração, mas existe muita explosão demográfica dessa espécie desde que foi proibido apanhar as quantidades que se apanhavam.

De salientar que só na altura de inverno é que são apanhados por causa das ovas e a sua dieta anda em torno da flora marinha, existindo locais que são autênticos desertos marinhos e onde apenas esta espécie impera.

Já assinei, obrigado pela divulgação.

Abraço.

António disse...

Li o seu artigo sobre os ouriços do mar, é um caso de que já tinha conhecimento à vários anos, não sabia da gravidade da quantidade apanhada por ano, mas não é dificil imaginar, com as necessidades económicas porque passam certos estratos da nossa população e o deficit cultural existente.
O que devia de ser feito era obrigar as entidades responsáveis pela protecção da zona costeira a uma proibição total da apanha de qualquer animal marinho cujo habitat sejam as rochas da orla marítima, pois fazem parte de um sistema de biodiversidade animal integrada numa cadeia alimentar, cuja alteração por perda de um dos seus elementos, não é conhecida e pode ter efeitos gravosos em todo o ecosistema marinho.
Aproveito o facto de estarmos a alertar para a forte possibilidade de nos próximos anos desaparecer os ouriços do mar da costa norte do País.
Bem a propósito a DENÚNCIA que pretendo fazer aqui para a destruição total de um dos animais mais carimáticos das nossas praias que por MEGALOMANIA dos poderes locais Gaienses pelas bandeiras azuis EXTINGUIU, e cujos efeitos dessa destruição são bem visíveis,e podia enumerar vários, mas faço menção ao que considero o pior, o mais gravoso, que é o corte da alimentação dos robalos juvenis que se desenvolvem nos primeiros anos de vida,comendo na linha de água a PULGA DA AREIA.
Quem de nós ainda se lembra de apanhar na linha de água robalinhos com pulga. ACABOU NAS PRAIAS DE GAIA JÁ NÃO É POSSÍVEL, SE OS ROBALOS QUISEREM COMER E CRESCER A COMER O QUE SEMPRE COMERAM NO FIM DOS VERÕES, EM GAIA NÃO É MAIS POSSÍVEL, SE EU QUISER OU ALGUÉM QUISER MOSTRAR ÀS PRÓXIMAS GERAÇÕES O QUE É UMA PULGA DA AREIA, EM GAIA NÃO É MAIS POSSÍVEL FORAM EXTREMINADAS.
VIVAM AS 18 PRAIAS DE BANDEIRA AZUL. UM BEM AJA SR. PRESIDENTE

Sandra Botelho disse...

Infelizmente as pessoas se calam, fecham os olhos diante das dores do mundo e da natureza. Até quando? eu pergunto, até quando cruzaremos os braços?
Gostei daqui. Bjos no coração!

Paulo Martins disse...

Boas Fernando,

Nos pesqueiros que frequento com mais assiduidade não existem muitos ouriços mas mais para Norte já assisti a esta apanha desenfreada na altura da desova.
Resta-nos não baixar os braços e continuar a luta, um dia poucos serão muitos.

Abraço

Paulo Martins disse...

Boas António,

Obrigado pelo seu comentário.
O texto e petição é de autoria do Rui Taxa, impulsionador deste movimento.
Tudo o que afirma sobre a pulga da areia é uma triste realidade.
À uns anos atrás eram milhões na areia, os produtos quimicos para limpeza da areia e a apanha das algas que davam à costa no fim de Verão contribuiram para o quase total desaparecimento da pulga da areia.
Viva as bandeiras azuis e ao calçadão que permitiu a invasão das praias por quem à meia duzia de anos não gostava ou conhecia Vila Nova de Gaia.

Cumprimentos
Paulo Martins

Paulo Martins disse...

Olá Sandra,

Obrigado pelo comentário..

A raça humana é presunçosa, não entende que faz parte de um ciclo e de um habitat que não é dona, é apenas mais uma especie..

Beijos
Paulo Martins

Sargus disse...

Boas Paulo, enviei te uma foto para o teu e mail para adicionares a este tópico se bem o entenderes.

Abraço.

;)

Multiolhares disse...

Olá Paulo

Vou levar o teu mote para o meu cantinho e fazer um poste de alerta, como continuação de divulgação do teu.
beijinhos

Paulo Martins disse...

Boas Fernando,

Obrigado pela foto já está colocada.

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Paulo como estás ?
,
profundo post,
,
por aqui á muito que os ouriços
desapareceram, nos últimos
20 anos vi uma dezena, como
outras espécimes que se criam
na orla costeira.
Mais uma vez a marca de Portugal,
nas Pescas está sempre presente,
Qual marca ?
tomar medidas depois da extinção
das espécimes !!!
,
Um abraço,
extensivo á . . . , fica,
,
*

Paulo Martins disse...

Boas Poeta...:)

Gostei da sua visita,é o Portugal que temos..
Até quinta..

Abraço e beijos para a Nazaré