Seguidores

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O maior segredo da pesca



Há um género de obsessão na pesca que nos faz estar num estado permanente de inquietude, pelo menos a mim, e só o contacto com a água acalma a mesma.
Tenho por hábito dizer que não gosto de apanhar peixes por cansaço, por isso é que raramente as saídas de pesca não duram muito mais que duas horas, gosto de somar todas as variáveis, ponderar os vários cenários e fazer as minhas previsões e apostas… Quando vou pescar levo sempre vários planos na minha mente, o principal é o pesqueiro, por norma saio  já com o destino fechado, claro que  o mais importante é uma analise  in loco do estado do pesqueiro para tomar a decisão final mas vou pescar sempre com a ideia de 2 ou 3 pesqueiros, em primeiro lugar porque corro o risco de quando chegar ter o pesqueiro ocupado por outro pescador e em segundo convém sempre ter planos alternativos  porque as previsões das mais variadas ferramentas de previsão meteorológicas falham por vezes redondamente. Claro que nem sempre foi assim por tempos houveram que se pudesse dormia em cima do mar mas foram esses mesmos tempos que me fizerem concluir que o mais importante é estar no sitio certo à hora certa do que efectuar epopeias de horas a pescar.

Quem aposta nos pontos de água para fazer as suas incursões tem que ter isso em mente, fazemos a nossa aposta e a janela de oportunidade de captura é pequena, por isso convém ir preparado para a decisão de ter que mudar rapidamente de local se as variáveis não são as que prevíamos.
Capturar peixe é fantástico, capturar peixe porque fizemos as coisas bem para mim tem um sabor diferente.

Há pescadores que tem os seus pesqueiros favoritos, os seus quintais, claro que eu tenho as minhas preferências muitas das mesmas até por uma questão de comodidade de deslocação mas longe vai o tempo de ficar aborrecido por ver os pesqueiros ocupados, se antes ficava furioso agora pego no carro e sigo destino, por norma isso acontece por pescadores que só aparecem quando sabem que dá peixe, na realidade é natural que os pescadores apareçam para pescar quando sabem que dá peixes, por outro lado acabam muitas vezes sem saber a verdadeira razão porque deu peixe, quando o peixe falhar nesses pesqueiros ou ficam à espera de saber onde deu peixe novamente para ir pescar ou nem sabem para onde vão pescar se o quiserem fazer, andam um pouco às cegas. Pode ser até ser um pouco duro afirmar isso mas é uma constatação da realidade, andar atrás de peixes que já saíram não faz o meu género.. 

Como na vida na pesca não penso de maneira diferente, não gosto de andar às cegas, à espera de golpes de sorte, de viver segundo a opinião de outros, gosto de ouvir mas jamais serei uma cópia de alguém, na pesca passa-se muito isso, por vezes há pescadores que olham para outros e tentam seguir os seus passos, na grande generalidade vão tentar ser uma cópia de outro e as cópias nunca serão melhores que os originais, nada disso invalida que devemos aprender com todos porque na realidade com todos se aprende e no dia que pensarmos que sabemos tudo ou que somos os maiores da nossa rua estamos condenados à estagnação ou a uma evolução muito lenta, e se existe desporto em que facilmente levámos um banho de humildade é na pesca.

Este ano pouco pesquei nos meus pesqueiros mais frequentes, por vezes é bom procurar sucesso onde poucos o procuram ou visitar velhos pesqueiros conhecidos, se por um lado há pesqueiros muito bons por outro existem muitos por descobrir, e o grande problema dos pesqueiros é que há muito por escolher mas não se dão a conhecer de um dia para o outro, ou alguém nos explica como se faz e quando fazer ou é um conhecimento que não se ganha rapidamente, seja em Portugal ou do outro lado do mundo todas as massas de água tem as suas manias ou segredos.
Se me perguntarem se guardo segredo de amostras honestamente não, guardo segredo das manias dos pesqueiros porque se algumas manias me foram ensinadas por pescadores a quem devo muito outros tantos foi porque perdi centenas de horas para os conhecer e acho que a partilha de informação é saudável mas por outro lado pescador que se preze tem que saber fazer o seu caminho, procurar os peixes e os padrões..

Todos ouvem falar de pesqueiros quentes, seja em Vila Nova de Gaia seja no extremo de Portugal mas esses pesqueiros são bons quando? Com marés altas ou baixas? A meter água ou na vazante? Meia maré? Pode ser… Mas a vazar ou a encher? Na Primavera? No Verão quando tem laminárias? Com vagas de dois metros ou com mares derretidos? Porque meteu areia, porque a tirou? Encostou comedoria? Com águas limpas? Ou pede águas mais fechadas? Com vento Sul ou Norte, e de Oeste já não é bom? O Pesqueiro tem areão? Na altura da desova ou em Agosto?
Parece um exercício disparatado mas quem registar as suas jornadas de pesca com sucesso e grades ao fim de anos vai retirar conclusões, se vale a pena ou não mais uma vez ficará ao critério de cada um..

Como cada um encara a pesca à individualidade diz respeito, se para uns é redutor para mim é de uma complexidade extrema, não me chegam justificações vagas por muito que corra o risco de por vezes tentar encontrar um explicação no injustificável ou complicar o que simples é ,quando não capturámos nada e carregamos uma grade por norma atirámos para o ar que a culpa é do vento, a água não estava a fazer jeito ou então estava muito fria, se o período da vaga é pequeno muitas das vezes foi grande demais e ainda há  a famosa lua .. Pois bem quando não apanhamos peixe encontrámos quase sempre uma desculpa para o insucesso porquê não pensar ao invés?
O que nos levou a apanhar os peixes? 

O maior segredo da pesca são os padrões dos pesqueiros, sabendo os mesmos temos 80% da captura efectuada.
Ao longo do tempo muitas das vezes penso que já encontrei a resposta para muitas questões mas há sempre algo que me faz efectuar uma pergunta diferente, por isso é que a pesca é uma obsessão porque por mais respostas que encontre continuo sempre a encontrar novas perguntas.

E na pesca quem tem mais perguntas que respostas muitas das vezes apanha mais peixe, apenas porque procurou as respostas..

Procurar as respostas para encontrar os padrões dos pesqueiros e dos peixes é o maior segredo da pesca..

6 comentários:

Paulo Gonçalves disse...

É com muito prazer que mais uma vez leio o que escreves e concordo com tudo o que dizes. Parabéns pela maneira como olhas e refletes a pesca. Grande abraço

JORGE LOPES disse...

Tens toda a razao.

Nuno Caçorino disse...

Viva Paulo,

Ora aqui está uma abordagem do spinning sob as mais variadas perspetivas numa adição de elementos variáveis. Creio que esta actividade deve ser encarada como uma pesca com alguma coerência ao nível da taxa de sucesso com o suporte e consubstanciada com os anos de experiência que nos vão permitir ter mais probabilidades de capturas. Porém, convém sempre deixar uma pequena margem para o insucesso porque também neste tipo de pesca é.... também necessário relativizar um pouco em nuances como, onde, porquê e como, etc.
Gostei da postagem! Um abraço da costa vicentina!

Francisco Belo disse...

Boas Paulo!!

Que artigo fantástico. Adorei ler e reler :)
Os meus parabéns!

Abraço

Unknown disse...

Boas Paulo
tens razão em alguns pontos discordo de outros no entanto acho que falas para um grupo muito restrito de pescadores porque a maioria não sabe nem sequer fazer a leitura do pesqueiro . ou que cor ade utilizar ou isco usar por isso o teu desabafo é inglório ..
Abraço

Filas disse...

Faz uma abordagem muito boa da pesca, gosto de ler os seus posts, temos sempre algo aprender, quando achamos que ja sabemos tudo...a pesca surprende-nos e sentimo-nos pequeninos, existe uma triste realidade que por mais que se tente esquecer ela existe, que é a extinçao da especie, podemos dar mil e uma desculpas e ser cada vez mais perfeitos na pesca mas a realidade é esta: os robalos sao cada vez menos e quando voçe captura uma femea de grande porte ovada (a mim deixa-me sempre com peso na consciencia), mata milhoes de robalos, é como um mealheiro se voçe so tirar um dia ele vais estar vazio, enquanto nao houver uma mudança de mentalidades os peixes vao ser sempre menos por mais perfeiçao que tenhamos na pesca