Seguidores

sábado, 10 de novembro de 2012

O spinning não é superior



Gosto de pescar porque me alivia a alma, o verbo aliviar é um verbo engraçado, populista até,  se me perguntarem se fico aliviado quando vou pescar e entrando agora no campo dos adjectivos na realidade até são muitos os momentos na pesca que não consigo adjectivar, são momentos polarizados, antagónicos e absurdos: 
Levantar cedo, roubar tempo ao descanso físico para chegar ao mar e ver o mar cravejado, minado e poluído de redes, ver pesqueiros em que o marisco é completamente rapado sem critério algum, (depre)apreciar pequenas multidões na maré vazia a varrer os pesqueiros,.. Não, não se pode dizer que me alivia a alma, não posso ficar aliviado quando vejo um património a ser delapidado, um património que não é meu, é de 10 milhões de Portugueses.. 

Não, não fico aliviado quando vejo pescadores de spinning a descer a areia e a olharem de soslaio e até desdém para um velho pescador de surf casting, 

Não fico aliviado quando a  pesca se torna numa passagem de modelos em que os pescadores de spinning descem a areia a caminhar em bico de pés, com a sua cana de carbono em altíssimo módulo, com o seu grip à cintura,  em coldre ou estrategicamente colocado com o seu extensor , coletes à prova de bala, de água e de quedas, não, não fico aliviado mas em boa verdade se diga que já dei boas gargalhadas a escrever este parágrafo quando mentalmente me ocorreram algumas passagens. 

Não, não fico aliviado quando os pescadores de spinning levam para o campo do exagero as suas teorias matemáticas sobre a pesca, os materiais e mais algumas divagações egocêntricas. 

Não, não fico aliviado quando vejo pescadores de spinning com dois ou três anos de experiência a debitar discursos roubados , ideias por outros construídas sem reconhecer o verdadeiro tempo de aprendizagem , a experiência como algo intrínseco e necessário na pesca, como em muitas outras coisas na vida, porque ainda não perceberam que a pesca acaba por ser uma aprendizagem individual mas também  colectiva e sempre infindável , que todas as teorias podem cair por terra porque lidámos com seres vivos, com vontade própria e um instinto de sobrevivência notável. 

No outro pólo, fico aliviado quando vejo os velhos pescadores de surf casting a apanhar mais robalos que os modernos pescadores de spinning, fico muito aliviado quando aprecio o velhinho pescador de buldo a travar o bulrag na restinga e a provocar um ataque de um robalo mais voraz… 

Fico aliviado no sentido mais puro do adjectivo quando constato que os robalos e todos os outros  peixes não escolhem por quem são capturados, não ligam a títulos académicos nem a pescadores que possuem centenas de amostras, não escolhem as amostras ou os iscos porque são de origem japonesa  a até foram muito caros.. 

Realmente o bom material ajuda, ajuda os bons pescadores a serem melhores pescadores mas apenas o material não vai fazer de ninguém pescador e infelizmente alguns (pseudo) pescadores só aprendem a ser humildes através dos peixes que teimam em não se deixarem enganar por eles.. 
 Não,não sou contra a evolução nos materiais, até muito pelo contrário, adoro experimentar e aproveitar novas janelas de oportunidade, sou é contra a falsa permissa que os pescadores de spinning estão num degrau acima de outros pescadores que usam outras técnicas e que até não têm capacidade financeira para mais.

Fico aliviado quando constato que ainda há peixes grandes no mar no meio de tantos atentados.. 

Fico aliviado porque há pessoas fantásticas na pesca, como na vida, repletas de sabedoria, mas todas essas sem excepção são de uma humildade e liberdade de pensamento admiráveis, possuem uma mente aberta mas  têm um bom senso e um sentido prático inabaláveis  

E por fim quase me esquecia , a desova já começou em alguns lugares,pesquem em consciência e com consciência, a partir de agora é muito mais fácil tropeçar em grandes exemplares para a alegria dos mais egocêntricos que infelizmente aparecem em todos os lados. 

Os pescadores de spinning não são superiores aos outros, convém alguém relembrar isso de quando em vez.

32 comentários:

PêJotaFixe disse...

Welcome to the club!
Gostei do termo "cravejado". É de pescador! Felicitações pelo peixe.

Saúde, da boa ; ))

C.Morais disse...

Olá Paulo,

Li com atenção o post e apenas posso dizer que concordo com o que expressaste, desde a vaidade e "carpete vermelha" para os modelos top até à pseudo-superioridade...

Desde novo que pesco, fosse à inglesa, francesa ou bolonhesa, com feeder, aos achigãs e trutas. Depois veio o mar, com a boia simples, o pião, ao fundo, spinning... Tudo isto porquê? Porque é preciso adorar a pesca em si. Não é ser materialista, não é apanhar mais, não é apanhar o maior. É saber disfrutar... Saber que estamos ali, apenas porque gostamos e nos dá prazer...

Acredita, não estás sozinho nem de todo errado no que dizes.

Abraço

João Pinto - http://sheospinning.blogspot.com/ disse...

Falas pouco... mas quando falas falas bem!!!

Pela minha parte não me considero melhor nem pior, gosto de pescar, se com amigos melhor ainda, não ligo a técnicas até porque pesco nas mais variadas vertentes, não gozo com um pescador porque ele resolveu destinar a sua pesca a pequenos peixes ao invés de um único predador e nunca subestimo um velho lobo do mar, sabe mais ele a dormir que eu acordado e não é por eu ter material superior a ele que irei ter mais capturas...

Por mais que leia e vá aprendendo na internet é com os anos de terreno que mais se aprende e principalmente saber escolher amigos que gostem e saibam da pesca, cada vez que vou aprendo sempre mais um pouco e acho que só deixarei de aprender se deixar de pescar, não é a internet ou os livros que me vão tornar melhor, talvez ajude mas isso não é tudo.

Tenho tido alguns bons momentos de pesca mas deixei de publicar no blog, parte por falta de tempo, parte por falta de vontade, já cheguei a ter anónimos a dizer que brinco com o peixe (na oxigenação) antes de o devolver, aparece de tudo e com os anos perde-se um pouco a paciência.

Uma coisa que dizes e é justíssima é a apanha de mexilhão, lapas e percebes, no verão na baixa mar todos os fins-de-semana lá estão os banhistas a levar sacos de pequenos crustáceos, esquecendo que o petisco da tarde deles corresponde a muita comida para os peixes, as praias de Gaia estão minadas destes senhores...

Manuel disse...

Concordo com todos os teus pontos de vista, bom post, 5 estrelas, um exemplo a seguir, não só pela consciência de pesca e maneira de estar na vida.

Relembrar a todos que humildade é sempre bem-vinda.

Abraço

Nuno Ribeiro disse...

Um bom texto Paulo... acho que a maioria das pessoas farão alguma auto-reflexão após lerem esta tua escrita, eu assim o fiz e infelizmente revi-me em algumas coisas. Ás vezes é preciso meter o dedo na ferida ;)
abraço

João Baltazar disse...

Que grande texto Paulo.
Fico aliviado por saber que mais alguém partilha da mesma opinião.
Fico aliviado por tu saberes colocar a tua opinião em palavras de uma forma tão clara e esclarecida.
Fico aliviado porque penso que um dia ainda havemos de ir até umas pedras ilhadas lançar uns plásticos.
Até breve
João Baltazar

Pedro Franco disse...

Grande Paulo, grande post, palavras sabias de quem acima de tudo gosta da pesca, da natureza, e tudo o que faz com que um pescador não seja um mero apanhador de peixe mas sim um dicinário de pesca onde a experiencia e tarimba fez questão de registar paginas e paginas de pura sabedoria.
Para mim não importa o tipo de pesca que praticam, nem o peixe que apanham, mas que tenham aquele chamamento que nós faz ir á luta e disfrutar de bons momentos de pesca junto do mar, de novas e grandes amizades.
Abraços e Parabéns pelo magnifico argumento

pescador desconhecido disse...

muito boa esta que se pode dizer critica , quem anda pelas praias entende este ponto de vista: o modismo que se ve no spining que mais parece uma passarele de bom material e pouco saber,e espetar nos forums aquilo que se ve nas revistas como se tivessem adquirido aquele conhecimento ???!!!se calhar ás vezes até nas revistas vemos esses pseudo pescadores mas .....e muitos lobos do mar andam aí escondidos e nem querem protagonismo , não isto não é revolta , lol é apenas uma critica mas não vou tão longe chamando pseudo pescador , cada um é como é e á falta de humildade é como dizes, os peixes que não se deixam apanhar hão de lhes dar essa humildade :).....o melhor é deixar sse aprender com os erros, as grades com o mar , observar e muito importante :com os ANOS boas pescas

Rui Urubu disse...

Boas Paulo,

Grande momento de expiração amigo, o que disseste tem todo o sentido!

Abração e até um dia destes :)
Rui

Ricardo Ovar disse...

Boas Paulo,
Fico aliviado por ainda existirem pessoas como tu.
Excelente post.
Grande abraço
Ricardo Ovar

JFormigal disse...

Ser-se Pescador é isso mesmo! À beira-mar seria um Mundo bem melhor se todos agíssemos e pensássemos como tu. Parabéns pelo post e pela maneira de estar na Vida.
Abraço

José Pedro Cruz disse...

Olá Paulo!
Parabéns por esta tua dissertação, gostei muito de ler.
Tens a minha admiração e respeito.

Abraço!

urbano disse...

Boas

tenho seguido o blog, como te disse por e-mail, sou "aprendiz de Feiticeiro".

irei seguir atentamente, uma coisa que não percebi, não é proibido pescar em áreas salobras?

Pergunto isto pq tenho visto pescadores, por baixo da ponte Arrábida.

urbano

valadas disse...

boas amigo
grandes palavras

abraço

valadas disse...

boas amigo
grandes palavras
abraço

Anônimo disse...

Grande, grande post. Espectáculo! Revejo-me em tudo aquilo que referes.
João Carlos Silva

Paulo Martins disse...

Boas PêJotaFixe,

Há muitos membros do clube,poucos o escrevem porque há poucos a pensar assim a " perder tempo na net".
o peixe não é actual, é do inicio deste ano, raramente coloco fotos de peixes recentes,aprecio mais que a malta venha ver o conteudo do blogue e não ver se ando a apanhar peixe:)
Abraço e força com os travessões aí por baixo.

Paulo Martins disse...

Boas Cláudio,

A vantagem deste espaço é que posso escrever o que vai na alma, com certeza que estarei errado em muita coisa, as perspectivas variam sempre da maneira como as queremos encarar.
Abraço e obrigado pela visita

Paulo Martins disse...

Boas João,

Quem tem um blogue é sujeito a todo o tipo de comentários felizmente não tenho muitas almas a bater-me à porta mas quem anda à chuva pode ficar molhado, temos que relativizar..

Abraço
Paulo Martins

Paulo Martins disse...

Manuel,

Todos temos defeitos, convém é não caminhármos na vida em bico de pés, pelo menos eu detesto pessoas a agir dessa forma.

Abraço

Paulo Martins disse...

Boas Nuno,

O texto é mais um desabafo que uma critica.

Aparece sempre que quiseres, aqui e nas pedras:) a mochila é estante:)

Abraço

Paulo Martins disse...

Boas João,

Obrigado pelas palavras e pela visita.

A prancha maravilha ainda não furou? acabei por adaptar outra bem diferente da tua.

Forte abraço

Paulo Martins disse...

Boas Pedro,

Obrigado pelas palavras, dizes bem na minha opinião, o que interessa é a maneira como encarámos e estámos na pesca!

Abraço

Paulo Martins disse...

Grande Rui,

Fico contente por aqui apareceres mas prefiro de longe encontrar-te nos pesqueiros com o ferro e o saltão a facturar!

Abração amigo

Paulo Martins disse...

Obrigado Ricardo,

Conhecer pessoas como tu justificam a Internet,obrigado..

Abraço

Paulo Martins disse...

JFormigal,

Obrigado pelas palavras mas acredita que não me faltam defeitos, como todos nós os temos..
O que interessa é disfrutar o que tanto nos une.. pescar

Abraço

Paulo Martins disse...

Olá Pedro,

Obrigado pela participação e palavras, fico contente acima de tudo que um mal entendido tenha sido resolvido.

Forte abraço e dá-lhe com o vinil:)

Paulo Martins disse...

Mestre Valadas,

Por aqui com o mar tão bom?

ahahah..

Porta-te bem senão digo com que linha pescas..
Obrigado e abraço amigo

Paulo Martins disse...

José Carlos Silva,

Obrigado pelas palavras e pela participação, aparece sempre que desejar.

Abraço

Paulo Martins disse...

Urbano,

Penso que nesse local se pode pescar, as águas salobras nada tem a ver com o facto de existirem locais cuja pesca seja proibida, sejam salobras ou não.

Cumps
Paulo Martins

Ricardo Silva disse...

Já ha algum tempo que me dedico à pesca e desde que me lembro que adoro o mar, mas ha muito pouco tempo que sigo o seu blogue, e depois deste post nao podia deixar de lhe dar os parabens por tao sabias palavras! Porque ser um pescador, é muito mais que tirar peixes e atirar o isco à agua, é tambem ter respeito pelos animais e acima de tudo pela natureza!
Muitos Parabens!
Um abraço,
Ricardo Silva (Oeiras)

Gonçalo Barata disse...

Grande texto. Parabéns